O Programa se traduz por meio de um processo de estratégias relevantes à saúde da mulher. Para tanto, além da efetivação da 2ª Edição do Plano Intersetorial de Atenção Integral à Saúde da Mulher (2016-2018), esse Programa elenca o aprimoramento de questões pertinentes à saúde da mulher, meninas e adolescentes em situação de violência doméstica e sexual, e a relevância da atenção à saúde sexual e reprodutiva das mulheres usuárias do crack e à saúde das crianças nascidas de mães usuárias.